16 / 19

Manuscritos, 2021 

António Poppe

 

a partir do ciclo de Workshops Comunidade Enquanto Imunidade





















 

António Poppe (Lisboa, 1968). Poeta, artista visual, performer, professor de desenho. Estudou no Ar.Co, no Royal College of Arts em Londres e na School of the Art Institute of Chicago como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Luso Americana (FLAD) onde realizou um Mestrado em Arte Performativa e Cinema. Tem trabalho híbrido de poesia artes visuais e performance, editado pela Assírio & Alvim (Torre de Juan Abad, 2001), Documenta (Livro da Luz, 2012) e Douda Correria (medicin em 2015 e come coral em 2017), Maripoza Azual (O Agitador e a Corrente, escrito com Mumtazz, 2020) Já atuou e expôs em espaços como o Museu de Serralves, Galeria ZDB, Galeria 111, Culturgest, Fundação Carmona e Costa, entre outros. Em 2015 participou em "Oracular Spectacular: Desenho e Animismo", no Centro de Artes José de Guimarães (CIAJG); em 2017 expôs "Watercourse" na Galeria 111, com Joana Fervença, e participou em "Encontros para Além da História", sob o tema "As Magias" (CIAJG). No ano seguinte colaborou com Mumtazz na 6ª edição dos "Encontros para Além da História", sob o tema "O Nascimento da Arte" (d'après Georges Bataille), também no CIAJG; colaborou com "musa paradisiaca" em "Collaboration", curadoria de Filipa Oliveira, Quetzal Art Centre (Jachthuis Schijf, Holanda); e desenvolveu uma residência e seminário na Porta 33 (Funchal), enquadrada no ciclo "Mais importante do que desenhar é afiar o lápis", curadoria de Nuno Faria. Em 2019, realiza uma exposição individual na galeria ZDB em Lisboa, com a curadoria de Natxo Checa. Gemeamente ensina desenho e meditação. 

 

Voltar ao topo